Uma Nuvem Sobre Hiroshima

6 nov

A Missão homicida do Enola Gay destruiu uma cidade, matou 78 mil japoneses e fez o Mundo mergulhar na era atômica.

Explosão da Bomba Atômica Little Boy

Missão Mistério – A tripulação do Enola Gay fez inúmeros vôos “simulados”, lançando bombas “Pumpkin” (Abóbora) cor de laranja e cheias de TNT, parecidas com a bomba atômica. O sucesso da missão esteve, em grande parte, nas mãos do piloto, coronel Paul W. Tibbets e do perito em bombas, capitão William S. Parsons.

Na pequena ilha de Tinian, no pacífico Ocidental, um bombardeiro-superfortaleza B-29, chamado Enola Gay, nome da mãe do piloto, decolou e subiu rumo ao escuro céu do Pacífico. Em vez da sua carga normal de bombas e armamento convencionais, este B-29, dotado de longo raio de ação, transportava no seu depósito de bombas apenas uma bomba de 4.090 Kg, apelidada de “Little Boy” (Garotinho).

Eram 2:45h da manhã de 6 de agosto de 1945 e esta era a missão para a qual Tibbets e a sua tripulação tinham treinado em segredo durante mais de um ano. Acompanhado por outros dois B-29, um carregado de instrumentos de registro, o outro de máquinas de filmar, o Enola Gay seguiu para o norte e em direção ao Japão, a seis horas e meia do vôo.

A 1.430m de altitude o capitão William S. Parsons, o oficial carregado da bomba, engatinhou até o depósito para armar o Little Boy. Uma medida de cautela pois se o avião tivesse caído durante a decolagem com uma bomba atômica armada, metade de Tinian teria sido eliminada. Depois de passar por Iwo Jima, o piloto, coronel Paul W. Tibbets Jr., disse à sua tripulação, formada por 11 homens: “Isto é pra ficar na História, por isso tenham cuidado com o que dizem. Transportamos conosco a primeira bomba atômica”. Tibbets subiu a 2.800m de altitude, onde se manteve até o avião se aproximar do Japão. Às 7:25h da manhã, o Enola Gay recebeu uma mensagem em código vinda do Straight Flush, um avião B-29 meteorológico que tinha partido à frente para fazer o reconhecimento das cidades-alvo: o céu estava limpo sobre Hiroshima. Tibbets subiu a 9.630m de altitude e dirigiu-se para a agitada cidade, que ficava junto do mar Interior do Japão. Embora um alarme de ataque aéreo tivesse soado às 7:09h da manhã, poucos residentes de Hiroshima prestaram atenção; tinham-se habituado ao avião meteorológico norte-americano que voava regularmente sobre a sua cidade portuária logo às primeira horas do dia. A mensagem de fim do alarme soou 22 minutos mais tarde. Apesar de os três B-29, voando a grande altitude, terem sido avistados às 8:06h da manhã, o alarme não soou senão quase no momento em que a bomba foi lançada.

Às 8:15h da manhã, o oficial de artilharia major Thomas W. Ferebee avistou a Ponte Aioi sobre o rio Ota, em Hiroshima. Largou a sua carga atômica exatamente 17 segundos mais tarde. Ao mesmo tempo o B-29 de observação lançou três pára-quedas transportando equipamento de registro da explosão. Com quatro toneladas a menos, o Enola Gay disparou para cima, e Tibbets fez um ângulo rápido de 155° para a direita como havia praticado durante o treinamento a fim de evitar a explosão fatal.

O Little Boy foi detonado 565m acima da cidade, perto da ponte. A bomba atômica explodiu com um clarão de luz azul-esbranquiçada que rasgou o céu. Milhares de pessoas evaporaram instantaneamente, pois o solo perto da explosão atingiu temperaturas de mais de 9.000 °C. Tão intensa foi a explosão que tudo o que sobrou de algumas das vítimas sobre paredes de cimento. Outras, até 3km de distância, estavam horrivelmente queimadas: muitas ficaram sem as roupas e a pele, arrancadas pelo calor e pela explosão.

Little Boy

Little Boy

A seguir, uma onda de choque tão forte como um vento de 800km/h nivelou quase tudo num raio de mais de 3km. Edifícios comerciais e casas foram pelos ares em segundos. As estimativas quanto ao número de mortes variam, mas calcula-se que pelo menos 78 mil pessoas teriam morrido na bola de fogo e na onda de choque que se lhe seguiu.

Surgiram incêndios por toda a cidade e todos os  edifícios numa área de 13km² da explosão ficaram destruídos. A explosão provocou destroços e de pó em forma de cogumelo com um altura de 15.250m. Do seu ponto de observação, a 10.000m, o coronel Tibbets descreveu a nuvem aterrorizante como ‘continuando a mover-se… a superfície não é mais que uma fervura negra, como um barril de alcatrão’.

Relógio Bomba

Relógio Bomba

Gotas de chuva negra do tamanho de bolas de gude começaram a cair da enorme nuvem sobre a cidade, trazendo a radiação que havia de causar ainda mais vítimas. Uma estimativa japonesa de 1968 concluiu que 250 mil habitantes de Hiroshima tiveram morte instantânea ou morreram de doenças provocadas por radiações nos cinco anos seguintes.

A força explosiva da bomba, de vinte mil toneladas de TNT, enviou também uma onda de choque dupla para o céu que sacudiu o Enola Gay. A princípio, a tripulação interpretou os choques como fogo antiaéreo, até que Tibbets, preparado para os abalos, explicou a sua origem. Usando óculos especiais para proteger os olhos, a tripulação do Enola Gay contemplou com espanto e horror a destruição causada pelo Little Boy.

Olhando para trás, podiam observar a sinistra nuvem em forma de cogumelo até sem encontrarem a 580km de distância de Hiroshima, no seu vôo de regresso a Tinian.

Cúpula da Bomba-A

Em Memória - Este foi um dos poucos edifícios de Hiroshima que sobreviveu parcialmente à explosão atômica. Atualmente, a "Cúpula da Bomba-A" mantém-se de pé no centro da cidade reconstruída, como lembrança do dia da destruição de Hiroshima.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: